Replicar

Opini?es, perplexidades e inquietaç?es...

Blog mantido por:

Vítor Ribeiro (Replicant_pt)

José Luís Silva


This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Links:
< DIÁRIOS >

Site Meter
sábado, dezembro 20, 2003
 

Kadhafi


Os tempos não correm de feição para os velhos ditadores.
Quem viu Kadhafi até meados dos anos 80, dificilmente o reconheceria nas atitudes que ultimamente tem revelado.
O homem que estava por detrás de tudo quanto era organização terrorista, fornecendo armas, treinos e toda a demais logística necessária às operações, amansou consideravelmente após o 'raid' que o presidente Reagan mandou efectuar sobre a sua residência pessoal.
Agora, na velhice, sem dúvida apavorado com a perspectiva de acabar os seus dias enfiado num buraco, como o seu amigo Saddam, toma a iniciativa de destruir e desmantelar todas as armas de destruição maciça que dispunha e cuja existência nunca tinha admitido.
Apesar de lamentáveis, as imagens dos americanos a puxar as barbas de Saddam tiveram um efeito pedagógico nada desprezível.




domingo, dezembro 14, 2003
 

"Até que enfim!"


Quando ouvi a notícia sobre a captura de Saddam Hussein, assolou-me a mesma expressão que teve o presidente Bush - "Até que enfim!"





quarta-feira, dezembro 03, 2003
 

Vergonha! Vergonha!


Este, era o grito que milhares de manifestantes soltavam contra a chamada "Lei Gasparri", que abre caminho para Berlusconi se apropriar da RAI.
É absolutamente indescritível o rumo que a Itália está a tomar, mas a maioria do povo italiano é que colocou, democraticamente, no poder "a vergonha" que os governa!




quarta-feira, novembro 26, 2003
 

Taça América


Até há uma semana atrás ninguém tinha ouvido falar da Taça América.
Subitamente, tornou-se no evento mais importante do mundo!
A candidatura portuguesa foi derrotada. A oposição deitou as culpas ao governo. O governo culpou os pescadores e os seus protestos!?
Tudo fita. Fiquei com a sensação que todos respiraram de alívio, especialmente o nosso governo... Cumprir mais um calendário megalómano não entrava de todo nos planos deste.
A tão falada reabilitação da zona em causa, poderá agora ser feita de acordo com o tradicional e elástico ritmo português.
Como disse Pedro Santana Lopes: "Deixámos de ter uma dor de cabeça"!




segunda-feira, novembro 24, 2003
 

Jornalistas no Iraque


A cobertura jornalística dos nossos elementos da GNR, que foram para o Iraque, excedeu todas as expectativas. Depois de serem a própria notícia, agora fica-me a sensação que são mais os jornalistas que o objecto da notícia. Ou seja, devem estar no Iraque mais elementos da imprensa portuguesa que agentes da GNR!




quarta-feira, novembro 19, 2003
 

Vândalos


Fiquei atónito com a barbaridade e o rasto de destruição que os nossos jovens futebolistas deixaram em França, a título de comemoração do apuramento da selecção portuguesa.
A má-formação, a baixeza de carácter que este tipo de gestos revela deixa-me completamente envergonhado.
Na medida em que estes jovens estavam a representar Portugal, esta é uma imagem que se cola a todos os portugueses.
Mais indignado fiquei perante as palavras suaves e compreensivas do treinador - que tem idade para ter juízo e só prova que nem as regras básicas de comportamento sabe inculcar nestes tristes representantes. O 'mister' explica toda a destruição causada no balneário com o facto dos jogadores ao pularem de contentes e ao saltarem ao colo uns dos outros, inadvertidamente partiram o tecto (que era falso - justifica), as mesas, o mobiliário, enfim tudo aquilo que se pudesse escaqueirar naquele espaço.
Moral da história, a culpa não foi dos rapazolas mal-educados, foi dos materiais que não aguentaram os exuberantes festejos.




sábado, novembro 15, 2003
 

Einstein on the Beach


Hoje senti quase que uma necessidade de ouvir Philip Glass e a sua ópera em quatro actos "Einstein on the Beach". Foi dos primeiros CD's que adquiri, logo nos inícios de 90. Na altura custou-me os olhos da cara (é um CD quadruplo), mas foi um investimento compensador. A provar estão estes regressos periódicos quase obrigatórios.











sexta-feira, novembro 14, 2003
 

Menino nos braços


Estou completamente de acordo com o Satyricon. Caso se confirme que os EUA estão a planear a debandada do Iraque e pretendam deixar aos outros a solução dos problemas que lá criaram, não há solidariedade que justifique a presença das nossas tropas naquele território.
Ao mínimo sinal de que isso aconteça, espero que Durão Barroso, com a mesma firmeza que demonstrou no envio, mande regressar os nossos homens.




quarta-feira, novembro 12, 2003
 

GNR no Iraque


A decisão de enviar elementos da GNR para o Iraque não foi certamente uma decisão fácil de tomar pelo nosso governo. Esta, no entanto, tornou-se quase inevitável, na sequência do alinhamento quase incondicional com a política norte-americana em relação ao Iraque.
O facto da cidade de Nassíria ter-se revelado relativamente pacífica e sem problemas de monta (até hoje), era o lenitivo que minorava o incómodo de disponibilizar homens que se sabia iriam enfrentar situações de alto risco.
Devido às vicissitude mais diversas, os adiamentos do envio foram sucessivos, até que chegou hoje o inevitável dia.
E, efectivamente, a data não poderia revelar-se mais nefasta. Precisamente hoje, a cidade de Nassíria sofreu o primeiro atentado. Um atentado brutal, que vitimou mais de duas dezenas de pessoas e, entre elas, 14 soldados italianos, nossos parceiros nesta coligação. O alvo do atentado foi, nem mais nem menos, as instalações onde se iria instalar o contingente português da GNR.
Devido ao atentado, parece que agora este contingente vai deslocar-se para Bassorá, para uma área de acção dos militares ingleses.
Se até agora os portugueses, e muito particularmente os familiares dos elementos da GNR, estavam inquietos e apreensivos com a sorte dos seus, este sentimento ficou redobrado com os últimos acontecimentos.
Daqui resulta que a posição do nosso 1º ministro seja das mais ingratas que possamos imaginar. Por um lado encontra-se refém dos compromissos internacionais que assumiu e que certamente deseja honrar. Por outro lado, pende sobre a sua cabeça uma espada de Dâmocles, pois sabe que ser-lhe-ão impiedosamente imputadas todas as responsabilidades por qualquer infortúnio que recaia sobre o nosso contingente.
Certamente Durão Barroso sente-se, neste momento, a pessoa mais solitária deste mundo.
Perante isto, fica aqui o mais veemente desejo de que tudo corra sem incidentes de maior para os nossos homens.




domingo, novembro 09, 2003
 

Pinto da Costa


O Presidente do Futebol Clube do Porto tem algumas tiradas notáveis e outras execráveis.
Do último tipo, temos a sua inqualificável atitude de, publicamente, não endereçar o convite para assistir à inauguração do Estádio, à segunda figura do Estado português, Mota Amaral, por este ter feito o que devia, relativamente às faltas dos deputados que foram a Sevilha. Esta atitude merece o repúdio de todos e muito especialmente da classe política que ainda preza o seu bom nome.
O Presidente da República e o Primeiro-Ministro arranjaram um expediente para estarem ausentes e assim, ainda que de forma enviesada, manifestar alguma solidariedade com Mota Amaral. Tentaram salvar as aparências e ficar bem com Deus e com o diabo... Enfim...
Vamos ver qual a atitude de outras figuras políticas, para saber em que retrato querem ficar...
Não é que eu defenda que as altas figuras do Estado devam necessariamente estar presentes nestas cerimónias (ainda tenho bem presente a lamentável cerimónia do Estádio da Luz, com direito a 12 horas de emissão televisiva). Todavia, já que as coisas funcionam desta maneira no nosso país, é, no mínimo, sensato estabelecer a distinção entre instituições, figuras institucionais e pessoas.




sexta-feira, novembro 07, 2003
 

TVI


A TVI noticiou um caso extraordinário de fenómeno inexplicável que afectou a gravação de um episódio de umas das novelas do canal. Além das máquinas, as pessoas sofreram influências sobrenaturais e no final até um padre chamaram para tentar resolver ou explicar este fenómeno.

Por mim tenho uma ideia: façamos uma campanha a nível nacional, entre todas as pessoas de bem que ainda existam neste país, e apelemos para o encerramento deste canal televisivo. Tenho a certeza absoluta que grande parte dos fenómenos sobrenaturais que têm vindo a público, ultimamente em Portugal, cessariam de imediato!

José Luis Silva




 

Não Pagamos! (III)


É absolutamente incrível que a luta mais injusta desde o 25 de Abril de 74 dos estudantes universitários, que não é apoiada por ninguém no país, nem mesmo pelos próprios pais dos alunos, tenha conseguido reunir em Lisboa a maior manifestação dos ditos cujos, desde que a democracia existe em Portugal. É um fenómeno que custa a perceber e que não augura nada de bom para o nosso futuro.

Uma coisa é certa: os bares e restaurantes das Docas, de Alcântara ou do Parque das Nações, devem ter tirado a barriga de misérias! As propinas não pagam, mas alguém que me convença que depois da manifestação foram todos dormir ou para lugares onde não se gaste dinheiro!

José Luis Silva




 

Benfica


Eu gosto muito de futebol mas não sou fanático. Simpatizo com o Sporting mas acima de tudo está o meu Vitória de Guimarães (coitado de mim!). Não simpatizo com a filosofia nem a forma de estar da Direcção e actual equipa técnica do FCP, mas numa coisa tenho que lhes dar razão: a forma como os media bajulam o Benfica é perfeitamente ridícula! As águias ganharam ontem a uma equipa perfeitamente medíocre, que só não foi eliminada na ronda anterior da Taça UEFA pelo União de Leiria porque a equipa portuguesa foi escandalosamente roubada pelo árbitro que apitou o jogo na Noruega, deixaram que o Molde marcasse um golo e ainda pusesse o Benfica à beira de um ataque de nervos no último quarto-de-hora da partida. Mas quem ouvisse as notícias de hoje ou lesse os jornais, ficaria convencido que o Benfica tinha ganho ao Real Madrid e tinha dado um passo de gigante para ser p'raí campeão europeu ou algo parecido. Oxalá eu me engane, mas infelizmente tenho quase a certeza que basta calhar ao Benfica uma equipa que jogue os mínimos para que o clube português fique pelo caminho.

Coitado do Benfica e coitada da nossa comunicação social, que rege os seus destaques pelo número de adeptos de um clube como mercado alvo e não pela verdade ou isenção na informação.

José Luis Silva




 

Audi


A Audi deu 1 carro topo de gama a cada jogador do Real Madrid! Já os estou a imaginar, a chegar a casa todos contentes e a dizer para a esposa: Ó mulher, anda que já vamos poder ir passear ao Shopping no domingo!

Lamento dizer isto, mas às vezes entendo perfeitamente porque é que há ainda comunistas puros e ferrenhos e até porque é que algum terrorismo achará que o nosso mundo está podre e merece ser castigado. Vão lá meter nojo ao raio que os parta!

José Luis Silva




 

Príncipes


Eu até aceito que se fale no noivado do príncipe espanhol com a jornalista. É uma notícia como outra qualquer, sem interesse por aí além, mas que também não ofende ninguém. Agora, que todos os canais (incluindo a RTP) todos os dias nos impinjam o romance espanhol, é que já não aceito! Começo a ficar ofendido e espero que pelo menos os canais sérios (agora só me lembro da RTP e nem sempre) parem rapidamente com a parvoíce, senão ainda vou ter que fazer uma campanha para encerrar os 4 canais abertos da televisão portuguesa!

José Luis Silva




 

Demissões


Os bombeiros de Viseu pediram hoje a demissão do Governador Civil de Viseu por este ter criticado o seu trabalho. Querem lá ver que qualquer dia ainda vamos ter os jogadores de futebol a pedir a demissão dos comentadores desportivos cada vez que estes os criticarem? E os filhos não começarão também a pedir a demissão dos pais quando estes os repreenderem? E se as empresas pedirem a demissão dos clientes cada vez que estes reclamarem do serviço ou da qualidade dos produtos? Olha que isto há cada uma!

José Luis Silva




 

MATRIX Revolutions


Quando uma qualquer saga cinematográfica chega à sua terceira sequela, ainda que pré-anunciada desde o início, e quando esta sequela é uma mega-produção, só fica bem dizer mal da coisa.
E todos aqueles que querem ficar bem, predispõe-se a ver a coisa desta maneira. Por mais voltas que o filme dê, este já está condenado à zurzidela habitual. É esta a reacção politicamente correcta da grande maioria dos nossos críticos cinematográficos, ou daqueles com alguma predisposição cinéfila.
Por vezes, gosto de remar contra a maré (é uma questão de atitude) e nunca como hoje me soube tão bem embarcar na maré adversa.
Há muito que perdemos a frescura e a novidade do episódio inicial. Concedo que o segundo episódio era um delírio visual a roçar perigosamente o espalhafatoso, mas este "Matrix Revolutions" é um delírio visual absolutamente esmagador!




quinta-feira, novembro 06, 2003
 

Noivado


O noivado do Príncipe Felipe com Letizia Ortiz, apanhou os nossos vizinhos espanhóis desprevenidos e provocou, em Espanha, uma comoção a roçar o ridículo. Mesmo os órgãos de informação de referência, como o "El País", rivalizaram com as tradicionais revistas de 'corazon' na revelação dos pormenores sobre a noiva e o noivado.
Enquanto que esta reacção se limitou ao país vizinho, encarei-a como um devaneio, mais ou menos compreensível num país que ainda rejubila com as histórias de príncipes e princesas e em que a revista de maior tiragem nacional iHola! é o veículo de transmissão, por excelência, deste mundo encantado.
Porém, fiquei estupefacto quando hoje reparo que a nossa RTP 1, estava a transmitir em directo a cerimónia do noivado, embarcando pateticamente neste doce imaginário.
Não restam dúvidas que estamos mesmo carentes de referências e valores...




quinta-feira, outubro 30, 2003
 

Santa que chora


Em Anadia, a imagem de uma santa, que alegadamente verte "lágrimas" de cera, foi motivo para diversas romarias ao local, fazendo já soar a palavra milagre, naquilo que mais não parece do que uma grosseira mistificação.
Há alguns anos, um fenómeno similar ocorreu em Oleiros (Distrito de Castelo Branco), quando numa pequena capela a estátua de Nossa Senhora "chorava" lágrimas de sangue. Rapidamente se organizaram excursões ao local e toda aquela gente acreditava piamente no fenómeno, mesmo aqueles que pelo seu grau de instrução deveriam ter uma atitude mais crítica relativamente ao assunto.
Fiquei impressionado com a rapidez e facilidade com que um fenómeno destes se propaga. A sua mais que inverosimilhança não suscita qualquer reserva ou atitude crítica. Pelo contrário, perante todas as evidências de fraude, muitos persistiam arreigados à sua crença, projectando certamente os seus desejos de ter o privilégio de assistir directamente a um milagre.
A história teve o fim que se conhece. Provou-se que era uma criança que pintalgava o rosto, durante a noite, com sangue de pomba, a mando do responsável de uma pequena instituição que acolhia crianças abandonadas ou provenientes de famílias desagregadas. Todas as pessoas da terra desejavam que aquilo fosse verdade, pois Oleiros era, e é, um concelho pobre e esquecido, que figura no mapa apenas na altura dos incêndios. Muitos ficaram a saber da localização de Oleiros nessa altura.
Relativamente ao facto recente na Anadia, destaco as palavras do único padre que presenciou o evento: "Estive a olhar, mas não vi nada, apesar de ser um bocado cegueta". "Dizer é uma coisa e ver é outra, mas outra é ainda fingirmos que vemos."




segunda-feira, outubro 27, 2003
 
Praxes académicas

Parte da intervenção de Pacheco Pereira, ontem, na SIC, teve como assunto as praxes académicas, que reinam agora por tudo quanto é Universidade e Escola Superior.
Subscrevo integralmente a repulsa que Pacheco Pereira manifestou por estas práticas. A coberto daquilo que julgam ser a tradição, ou, mais eufemisticamente, uma forma de integrar (aclimatar) os caloiros nas lides académicas, revelam toda uma baixeza de carácter, um gosto mórbido pela humilhação, ainda que travestida de diversão.
Foi interessante ver a jornalista, jovem e certamente com uma vivência não muito distante daquilo que estava a ser mostrado, a revelar alguma incompreensão pela indignação do deputado.
Aqueles que não se indignam consideram natural tudo isto, muito divertido. Depois tentam articular alguma frase pomposa mas estereotipada para dar alguma decência ao assunto, do género: "É um ritual de passagem!"
É tudo tão parolo, tão sem nível, tão revelador da pobreza intelectual de grande parte dos nossos universitários... Que tristeza!
Se assim é a este nível, como nos poderemos admirar das manifestações do género que assistimos na "catedral" da Luz, com direito a 12 horas de emissão televisiva. É Portugal no seu melhor...




quarta-feira, outubro 22, 2003
 
Demissões 2

Não percebo como é que ninguém se lembrou ainda de pedir a demissão de Bagão Felix por causa da menina morta pelo pai e madrasta em Valongo. Afinal, a Segurança Social também tem responsabilidades no caso por ser um dos elementos decisores na entrega da criança ao pai. Como o Ministério de Bagão tutela a segurança Social, e no actual clima de fundamentalismo pela responsabilidade política dos governantes, eu não apostava que o Ministro da Segurança Social chegasse até hoje em funções. Estou admirado!

José Luis Silva




 
Demissões 1

O advogado de Bibi no processo da Casa Pia pediu hoje a demissão de José Miguel Judice, o Bastonário da Ordem dos advogados. Criticou também o discurso de ontem de Jorge Sampaio sobre o momento actual da Justiça e da Informação. Assim, o Presidente "safou-se" para já de um pedido de demissão. Veremos se por muito tempo.

José Luis Silva




 
Manuela Moura Guedes

Há meses que não via o noticiário da noite da TVI. Não suporto o estilo de notícia com opinião do canal e muito menos a linha editorial de voyeurismo jornalístico que o 4º canal adoptou desde o princípio e que tão bons resultados lhe tem trazido, infelizmente. E, acima de tudo, não conseguia ver até ao fim os noticiários apresentados por Manuela Moura Guedes, esse expoente máximo do jornalismo "pimba". Ontem, por mero acaso, vi. Por sorte foi também noite de comentários de Miguel Sousa Tavares, que aliás nunca percebi como era capaz de aguentar o estilo de Guedes, que "fazia a festa, lançava os foguetes e apanhava as canas". Pois bem, ontem Sousa Tavares não aguentou e embora não tivesse perdido a calma nem a capacidade de raciocínio, pôs a apresentadora no seu lugar e ameaçou até calar-se ou sair se ela insistisse em contrariar ou interromper os seus raciocínios. Acusou também os jornalistas de posições demagógicas e de se aproveitarem ao máximo das fraquezas do nosso sistema jurídico. Parabéns Miguel! Até que enfim!

No barómetro do Jornal de Notícias de hoje, a TVI e Manuela Moura Guedes aparecem em baixa, por terem claramente uma posição definida sobre o processo Casa Pia. Para o JN isto é o fim da isenção jornalística da TVI. Estou completamente de acordo.

José Luis Silva






Listed on 
BlogShares